Ben Curtis/AP
Ben Curtis/AP

Novo presidente da Nigéria elogia antecessor por transição pacífica

Jonathan realizou um gesto inédito ao telefonar a Buhari para reconhecer a derrota e exortou seus apoiadores a aceitarem o resultado

O Estado de S. Paulo

01 de abril de 2015 | 12h37

ABUJA - Vencedor da eleição presidencial da Nigéria, Muhammadu Buhari parabenizou seu antecessor, Goodluck Jonathan, por entregar o cargo pacificamente nesta quarta-feira, 1º, um dia depois de se tornar o primeiro político da história nigeriana a substituir um presidente pela via das urnas.

Jonathan realizou um gesto inédito ao telefonar a Buhari para reconhecer a derrota e exortou seus apoiadores a aceitarem o resultado, um sinal do enraizamento da democracia na nação mais populosa da África que poucos esperavam. 

“O presidente Jonathan foi um adversário valoroso, e estendo a mão da camaradagem a ele”, disse Buhari a repórteres e apoiadores, ao som de aplausos entusiasmados.“Provamos ao mundo que somos pessoas que adotaram a democracia. Deixamos o Estado de partido único para trás”.

O general de 72 anos, que chegou ao poder pela primeira vez três décadas atrás por meio de um golpe de Estado, fez campanha dizendo ser um convertido à democracia determinado a erradicar os políticos corruptos da Nigéria.

A margem de votos - Buhari teve 15,4 milhões de votos contra 13,3 milhões de Jonathan - foi suficiente para refrear qualquer contestação legal.“O presidente Jonathan colocou os interesses do país em primeiro lugar ao reconhecer a eleição”, disse o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. 

O principal índice da bolsa da Nigéria subiu 6,7%, o melhor resultado do ano, e os títulos do país, indexados em dólares, também subiram em meio ao alívio com a ausência de violência e fraude que prejudicaram pleitos anteriores.Os investidores também estão cautelosamente otimistas de que uma repressão à corrupção levada a cabo por Buhari irá estimular os investimentos e fortalecer o crescimento da maior economia africana.

A regras determinam que Jonathan deve entregar o cargo oficialmente no dia 29 de maio.O governista Partido Democrático do Povo (PDP) está no poder desde o fim do regime militar, em 1999, mas vinha perdendo popularidade devido a uma série de escândalos de corrupção no setor petrolífero e ao desempenho do governo no combate à insurgência islâmica do Boko Haram.  “Vocês votaram pela mudança, e agora a mudança chegou”, disse Buhari. / REUTERS 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.