Novo presidente da Nigéria promete esforço para libertar alunas sequestradas há um ano

O novo presidente eleito da Nigéria, Muhammadu Buhari, prometeu nesta terça-feira fazer todos os esforços para libertar as mais de 200 alunas sequestrada por militantes do grupo Boko Haram um ano atrás, mas admitiu não estar claro se elas serão encontradas algum dia.

ALEXIS AKWAGYIRAM, REUTERS

14 de abril de 2015 | 16h11

A captura das estudantes de uma escola secundária do vilarejo de Chibok, no nordeste do país, em 14 de abril de 2014 atraiu atenção mundial para a crise humana causada pela tentativa do Boko Haram de criar um califado de estilo medieval na Nigéria, nação religiosamente mista e o maior produtor de petróleo da África.

Uma passeata foi realizada na capital, Abuja, nesta terça-feira para marcar o primeiro aniversário dosequestro em massa.

Buhari, eleito duas semanas atrás presidente da maior economia africana e do país mais populoso do continente, disse que seu governo fará tudo que pode para derrotar a facção radical.

“Não sabemos se as garotas de Chibok podem ser resgatadas. Seu paradeiro continua desconhecido. Por mais que eu queira, não posso prometer que conseguiremos encontrá-las”, declarou em um comunicado, dizendo que sua abordagem será diferente da de seu antecessor, Goodluck Jonathan.

Jonathan foi criticado por uma resposta lenta ao sequestro, mesmo tendo argumentado que um resgate apressado colocaria as vidas das alunas em risco.

(Reportagem adicional de Lanre Ola em Maiduguri, Felix Onuah e Abraham Terngu em Abuja e Tim Cocks em Lagos)

Tudo o que sabemos sobre:
NIGERIANOVOPRESIDENTEESFORCO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.