Novo presidente do País Basco culpa ETA por ataque

Um pequeno artefato explosivo foi detonado nesta quarta-feira perto de uma antena de telefones celulares numa região montanhosa do norte da Espanha. Não houve feridos. O novo presidente do País Basco, o socialista Patxi López, culpou o grupo separatista ETA (Pátria Basca e Liberdade) pela ação. Segundo ele, o grupo "voltou a demonstrar seu absoluto desprezo pelo conjunto da cidadania".

AE-AP, Agencia Estado

06 de maio de 2009 | 18h42

A explosão, que resultou em pequenos danos materiais, ocorreu em uma colina nas proximidades de Castro Urdiales, na região de Cantabria, que faz fronteira com o País Basco. López, que foi eleito presidente do País Basco na terça-feira, disse que trabalhará sem descanso para levar a paz ao local. Ele é o primeiro presidente não-nacionalista da região.

O ETA, considerado uma organização terrorista pelos Estados Unidos e pela União Europeia, já matou mais de 825 pessoas desde o final dos anos 1960 em sua campanha por um País Basco independente da Espanha.

Tudo o que sabemos sobre:
terrorismoEspanhaETA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.