Novo projeto de imigração é aprovado pela UE

O projeto de política comum de imigração e asilo para a União Européia (UE), apresentado pela França, recebeu hoje apoio dos 27 integrantes do bloco. Reunidos em Cannes, na França, ministros de Justiça e de Interior da UE assinaram a declaração de oito páginas do Pacto Europeu de Imigração, que propõe um modelo de imigração seletiva, controlada e firme em relação aos ilegais. "Os ministros chegaram a um acordo unânime sobre os princípios, os objetivos, a apresentação e a estrutura do pacto", afirmou o ministro de Imigração francês, Brice Hortefeux, em referência ao texto, que foi parcialmente suavizado por exigências da Espanha. O plano, que deve ser ratificado pelos líderes da UE em outubro, compromete as nações do bloco a adotar políticas coordenadas e estabelecer padrões comuns para o tratamento de imigrantes até 2012. O texto endurece de fato a política européia de imigração, instaurando regras comuns aos países membros em matéria de asilo. Trata-se fundamentalmente de dar prioridade à imigração trabalhista, regular a imigração familiar, assim como lutar contra os clandestinos reforçando os controles nas fronteiras do bloco e facilitando a volta a seus países de origem para quem conseguiu entrar.No entanto, após críticas de membros da UE, alguns pontos do projeto original foram excluídos - como forçar o aprendizado de idiomas locais e a proibição de legalizações massivas. Criar uma política comum de imigração é um dos principais itens da agenda francesa para seu período de seis meses na presidência da UE.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.