Photo by District of Columbia Metropolitan Police Department
Photo by District of Columbia Metropolitan Police Department

Novo vídeo da polícia de Washington indica que negro baleado e morto estava armado

Divulgação é feita apenas um dia depois de a família de Daniel Prude - homem negro morto em março - exibir imagens da ação que resultou em sua morte em Rochester, Nova York

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de setembro de 2020 | 20h11
Atualizado 04 de setembro de 2020 | 11h51

WASHINGTON - A polícia da capital americana, Washington, divulgou nesta quinta-feira, 3, o vídeo da abordagem em que um jovem negro foi morto por um agente na quarta-feira, gerando um novo surto de raiva nos Estados Unidos. Nas imagens, o jovem, identificado como Deon Kay, de 18 anos, é visto com uma arma na mão. 

A divulgação é feita apenas um dia depois de a família de Daniel Prude - homem negro morto em março - exibir imagens da ação que resultou em sua morte em Rochester, Nova York. Durante a abordagem policial, Prude foi algemado, encapuzado e teve sua cabeça pressionada contra o asfalto por cerca de dois minutos. 

Na abordagem policial na capital americana, Kay recebeu um tiro no peito quando escapava da polícia. Os agentes intervieram "após ter visto nas redes sociais um vídeo de um homem com uma arma de fogo", declarou o chefe da polícia de Washington, Peter Newsham, em entrevista coletiva.

De acordo com as imagens captadas pelas câmeras portáteis de um policial, o agente persegue um suspeito e se vira quando Deon Kay parece sair da parte de trás de um carro com uma arma na mão. O agente então dispara e o jovem cai com a mão no peito. Segundo as imagens, de má qualidade, Kay tem uma arma, mas não parece apontá-la contra o policial.

O agente afirmou ter atirado antes que Kay pudesse apontar sua arma, que foi encontrada a cerca de 30 metros de onde a vítima caiu, segundo Newsham. Kay foi levado ao hospital, onde foi declarado morto. O policial que atira foi identificado como Alexander Alvarez, que foi colocado em licença administrativa. 

Duas pistolas foram recuperadas, dois suspeitos foram presos e um terceiro escapou, relatou o chefe da polícia, que afirmou que Kay "era um famoso integrante de uma gangue de bairro" e tinha "muitos" antecedentes criminais.

Na noite de quarta-feira, dezenas de manifestantes protestaram diante da delegacia do bairro pedindo justiça. Na manhã de quinta-feira, o braço local do movimento Black Lives Matter tuitou que a "Gangue do Terror mais uma vez tirou a vida de um jovem" e exigiu a liberação imediata da filmagem.

"No clima atual, não só em Washington, mas também no país, a desinformação pode potencialmente gerar perturbações em nossa cidade e isso é a última coisa que queremos", disse Newsham ao explicar o motivo da divulgação rápida do vídeo policial.

O caso acontece após meses de protestos em todo o país contra o racismo e a brutalidade policial, e dias depois de policiais em Los Angeles matarem a tiros Dijon Kizzee, um afro-americano de 29 anos que andava de bicicleta quando foi abordado pela polícia por uma suposta infração de trânsito./AFP e AP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.