Novos ataques do Boko Haram matam 40 pessoas na Nigéria

Atentados ocorreram no Estado de Borno e ainda não foram reivindicados pelo grupo terrorista

O Estado de S. Paulo

21 de julho de 2014 | 10h58

LAGOS - Pelo menos 40 pessoas morreram em novos ataques vinculados ao grupo terrorista Boko Haram no Estado de Borno, norte da Nigéria, informaram nesta segunda-feira, 21, fontes policiais.

De acordo com a polícia de Maiduguri, capital de Borno, um ataque realizado no último sábado na cidade de Dalwa-Masuba, no distrito de Damboa, deixou muitos moradores feridos. Um dia antes, muitas pessoas haviam morrido em outro ataque no mesmo distrito, informaram moradores.

No ataque do sábado 19, os terroristas assassinaram todos os moradores que encontravam e queimaram suas casas. "Aqueles que enviamos ao local após o ataque nos trouxeram notícias de morte e destruição. Dizem que muitos cadáveres ainda não foram retirados do lugar", disseram as mesmas fontes.

Embora ainda não tenha sido reivindicado, o ataque segue o mesmo padrão das ações perpetradas pelo Boko Haram. Os terroristas islâmicos têm seu bastião em Borno e perpetram a maior parte de seus atentados neste e nos Estados nigerianos de Adamawa e Yobe.

Os três Estados mencionados se encontram em estado de emergência desde o ano passado, o que não impediu o registro de novos ataques. Mais de 2 mil pessoas morreram desde o início do ano.

O Boko Haram mantém mais de 200 meninas sequestradas desde o dia 14 de abril. Elas foram sequestradas em uma escola de Chibok, também em Borno.

Mas de 12 mil pessoas morreram e mais de 8 mil ficaram feridas desde 2009, quando a seita islâmica lançou sua campanha de terror. Boko Haram, que significa "a educação não islâmica é pecado" em línguas locais, luta para impor um Estado de corte islamita radical na Nigéria, país de maioria muçulmana no norte e predominantemente cristão no sul. /EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Boko HaramNigériagrupo terrorista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.