Novos ataques sectários deixam 30 mortos no Iraque

Três ataques atingiram o Iraque nesta quarta-feira, deixando um total de pelo menos 30 mortos e 56 feridos. No primeiro, um carro-bomba explodiu em meio ao tráfego, em frente a um posto policial, matando 23 pessoas e deixando 40 feridos. O segundo ataque teve como alvo uma patrulha policial e deixou três mortos e 15 feridos. Uma bomba escondida em baixo de um carro detonou quando as forças de segurança passavam.Já o terceiro atentado ocorreu quando morteiros atingiram três casas no bairro de Mahmoudiya, matando mais três civis. Um quinto morteiro atingiu o bairro de Qadisiyah, matando uma mulher e ferindo uma criança.Nos últimos dias, cerca de 400 pessoas morreram no Iraque em decorrência de disputas sectárias provocadas pela destruição parcial da Mesquita Dourada de Samarra na quarta-feira passada. O templo é um dos locais mais sagrados para os árabes xiitas. Com a imposição de um toque de recolher na última sexta-feira, no entanto, o país viveu dias de relativa paz. Mas a calmaria parece ter chegado ao fim nesta terça-feira, quando cerca de 68 pessoas morreram em atentados e casos de violência sectária na capital e em outras áreas do Iraque.O porta-voz da Associação de Estudiosos Muçulmanos de clérigos sunitas, Abdul-Salam al-Kubaisi, culpa o governo de não conseguir dar segurança para os cidadãos iraquianos.Al-Kubaisi nega que os sunitas estejam por trás dos últimos ataques, declarando que políticos xiitas líderes religiosos estão tentando inflamar o ódio sectário "para fazer uso desses eventos para atingir um objetivo, servir seus interesses futuros".O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, condenou os ataques de violência sectária da última terça-feira e disse que para os iraquianos "a escolha é o caos ou a unidade".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.