Novos atentados matam pelo menos 26 no Iraque

Pelo menos 26 pessoas, incluindo um soldado dos Estados Unidos e um alto oficial dos serviços de inteligência iraquianos, morreram hoje em novos atentados registrados em diferentes áreas do Iraque, informaram fontes policiais.Treze das vítimas perderam a vida em ataques de grupos armados no norte e no leste da cidade de Baquba, capital da conflituosa província de Diyala, 65 quilômetros ao norte de Bagdá.Em Kirkuk, no norte do Iraque, o diretor dos serviços de Inteligência de Tamim, Moussa Hashem, e dois de seus guarda-costas morreram na explosão de uma bomba durante a passagem de seu veículo pelo centro dessa rica cidade petrolífera, onde vivem curdos, árabes e turcomanos, segundo a televisão local Al Sharquiya.Em Doluiya (100 quilômetros ao norte de Bagdá), um carro-bomba conduzido por um suicida explodiu e matou três soldados iraquianos, segundo as fontes policiais.Outras cinco pessoas morreram baleadas em um carro por um grupo de pistoleiros em Faluja, ao oeste da capital, onde a polícia anunciou hoje que encontrou os cadáveres, com sinais de tiros, de três de seus agentes.Em Bagdá, que amanheceu hoje em calma após a suspensão do toque de recolher imposto na sexta-feira durante várias horas, também foram registrados alguns atentados com bombas que deixaram um morto e vários feridos, alguns deles policiais.O exército americano informou, em comunicado, sobre a morte de um soldado americano quando uma bomba explodiu à passagem de uma patrulha militar na capital. Com esta nova baixa, sobe para seis o número dos militares dos EUA mortos nos últimos três dias no Iraque.Fontes do Ministério da Defesa iraquiano anunciaram, por outro lado, a detenção de mais de 41 supostos rebeldes em várias operações realizadas em diferentes área do país durante as últimas 24 horas.Nas últimas horas, as tropas americanas libertaram o mufti do Iraque, o xeque Jamal Abdul Karim Al-Daban, várias horas após ter sido detido em Tikrit, cidade natal do ex-presidente iraquiano Saddam Hussein.A detenção do clérigo, conhecido por suas opiniões moderadas, causou indignação em Tikrit, onde milhares de iraquianos participaram hoje de manifestações de protesto contra as tropas americanas.O xeque Al-Daban é a autoridade religiosa mais importante dos sunitas do Iraque, comunidade que concentra o grosso da insurgência contra o Governo, controlado pela majoritária comunidade xiita, e contra as tropas americanas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.