Ameer Alhalbi|AFP
Ameer Alhalbi|AFP

Novos bombardeios em Alepo deixam ao menos 25 mortos, diz entidade

Ataques aéreos acontecidos neste sábado deixaram centenas de civis feridos

Associated Press, Beirute

24 de setembro de 2016 | 11h23

As forças do governo Sírio capturaram uma área controlada por rebeldes nas proximidades de Alepo neste sábado, aumentando o cerco a regiões comandadas pela oposição enquanto uma série de ataques aéreos destruíram prédios no local.

Ao menos 25 pessoas morreram segundo o Observatório Sírio para Direitos Humanos, uma entidade sediada no Reino Unido. Outro grupo de monitoramento, chamado de Comitês de Coordenação Local, informou que 49 pessoas foram mortas apenas neste sábado.

De acordo com o Observatório, o total de mortes em Alepo deve subir uma vez que muitos feridos estão em estado crítico e trabalhadores de resgate ainda estão cavando em meio a pedras. 

Moradores afirmam que o último bombardeio foi o pior desde que os rebeldes capturaram partes da cidade em 2012.

O novo impulso do governo ocorre enquanto a Organização das Nações Unidas (ONU) diz que cerca de 2 milhões de pessoas estão sem água corrente em Aleppo. A maior cidade da Síria sofre diante da escalada dos confrontos nos últimos dias.

A tomada de Handarat por forças sírias aliadas aos combatentes palestinos pró-governo coloca os insurgentes mais distantes de uma importante rodovia que leva a áreas controladas pelos rebeldes na cidade e que agora é comandada pelo governo.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.