Novos confrontos em Serra Leoa

Rebeldes e milícias governamentais de Serra Leoa voltaram a se enfrentar, segundo informações divulgadas neste sábado por emissoras locais. Os combates entre guerrilheiros da Frente Revolucionária Unidas e milícias de Kamajor, ligadas ao governo, acontecem na região de Tongo, e são as mais violentas desde a aprovação do acordo de cessar fogo, fechado em novembro do ano passado. Na última quarta-feira, as Nações Unidas aprovou o envio de 5 mil soldados da força da paz para a região, rica em minas de diamante. Cerca de 15 mil soldados permanecem em Serra Leoa, para tentar garantir a pacificação. Desde 1991, Serra Leoa convive com os conflitos produzidos entre guerrilhas e o governo do presidente Ahmed Tejan Kabbah. Os acordos de paz alcançados desde então são constantemente violados e os rebeldes continuam controlando a metade do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.