Novos líderes ganham holofotes durante congresso do PC chinês

Os jovens Li Keqiang e Xi Jinping são vistos como fortes concorrentes aos cargos mais altos do partido

Associated Press,

16 de outubro de 2007 | 13h52

Reunidos a portas fechadas com delegados de suas regiões, os líderes do Partido Comunista Chinês nas províncias de Liaoning, Li Keqiang, e de Xangai, Xi Jinping, tornaram-se o centro das atenções no segundo dia de congresso qüinqüenal do partido, nesta terça-feira, 16. Veja Também Taiwan aceita negociar com a China, desde que sem restriçõe O 17º Congresso do Partido Comunista, previsto para durar uma semana, irá reeleger o chefe do partido e atual presidente do país, Hu Jintao, assim como outros altos funcionários do governo chinês. Por outro lado, dirigentes veteranos serão substituídos por novas lideranças, que deverão ocupar os postos mais altos da hierarquia nos próximos cinco anos. Li, de 52 anos, e Xi, de 54, são vistos como os principais concorrentes para ingressar no poderoso Comitê Permanente do Politburo - a cúpula do Partido Comunista Chinês, cujos componentes devem ser anunciados ao fim do congresso, na próxima segunda-feira, 22. Caso sejam eleitos, ambos são vistos como potenciais sucessores de Hu na Presidência e do primeiro-ministro, Wen Jiabao. Como manda a tradição do Partido Comunista, Li e Xi se reuniram nesta terça com os dirigentes de suas províncias para discutir o discurso dado por Hu na abertura do congresso, na segunda-feira, 15. Ambos evitaram assuntos relacionados às suas carreiras pessoais, preferindo abordar as políticas sugeridas pelo presidente.  Perguntado sobre suas maiores vitórias à frente do PC em Liaoning, Li respondeu apenas que as conquistas vieram "por meio da liderança central do partido e pelo trabalho duro de todo o povo da província". Xi, cujo predecessor foi tirado do poder devido um escândalo de corrupção, foi mais cauteloso.  Discussões voltadas à promoção pessoal são vistas como perigosas dentro do sistema autoritário chinês. Para avançar politicamente, os líderes chineses têm como regra geral evitar erros e cultivar os dirigentes mais velhos.  Embora tanto Li quanto Xi não tenham assentos garantidos no Comitê Permanente, ambos são relativamente jovens e bem relacionados com os líderes veteranos, o que os fazem concorrentes fortes.  Ainda assim, o mistério envolvendo a seleção de novos líderes chineses é tão grande que ninguém sabe ao certo nem se o número de assentos do Comitê Permanente - atualmente em nove - continuará o mesmo. Agora resta esperar o fim do congresso para conhecer quais serão os novos rumos da obscura política chinesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.