Novos protestos contra criação de aterro na Itália acaba com dois detidos

Em Terzigno, população luta contra novo depósito de lixo; prefeitos rejeitam proposta do governo

Efe

25 de outubro de 2010 | 09h37

Italiana se une aos protestos; ao fundo, faixa diz 'Bem-vindo ao Parque Nacional do Lixo'.

 

ROMA - Três jovens foram detidos na madrugada desta segunda-feira, 25, por atingir com paus e pedras duas patrulhas policiais na localidade de Terzigno, na província de Nápoles (sul da Itália), em mais um episódio das manifestações contra a abertura de um novo depósito de lixo na região.

 

A agressão, que causou ferimentos nos olhos de um dos agentes, aconteceu longe da região onde há dias estão acampados os manifestantes para bloquear a entrada dos caminhões do lixo no depósito já existente.

 

As forças de segurança esperam a reação dos manifestantes depois que os prefeitos das localidades da zona onde estava prevista a construção do novo despejo rejeitaram assinar o acordo proposto pelo governo italiano.

 

O documento incluía a suspensão "por tempo indeterminado" da abertura do depósito, que se tornaria o maior da Europa, assim como a interrupção das atividades atuais durante três dias para realizar "os testes técnicos necessários". No entanto, os moradores da região afirmam que "não acreditam" nestas palavras, e pedem que a frase "suspensão por tempo indeterminado" seja trocada por "suspensão definitiva".

 

Para o chefe da Defesa Civil italiana, Guido Bertolasso, enviado pelo Governo para mediar a situação, apesar da recusa dos municípios, o plano para resolver a situação seguirá adiante.

 

Na manhã desta segunda, alguns caminhões começaram a descarregar toneladas de argila para cobrir os resíduos do depósito de Terzigno e eliminar os odores que incomodavam a população.

Tudo o que sabemos sobre:
ItáliaTerzignolixoprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.