Novos tremores de terra deixam chineses assustados

Novos tremores de terraderrubaram 420 mil casas e feriram dezenas de pessoas nosudoeste da China, na terça-feira, provocando mais destruição emedo em uma região que ainda luta para recuperar-se do piorterremoto ocorrido no país em décadas. As casas ruíram quando um abalo sísmico de magnitude 5,4atingiu o condado de Quingchuan, na província de Sichuan, naterça-feira à tarde, ferindo 63 pessoas (seis das quais comgravidade), disse a agência de notícias Xinhua. Um outro tremor, de 5,7 graus, atingiu o condado vizinho deNingqiang, na província de Shaanxi, disse a agência, atribuindoas informações à Rede Sismológica Nacional da China. Não houveregistro de mortos. Os tremores pós-terremoto atingiram essa região montanhosaenquanto soldados trabalhavam de forma ininterrupta para cavaruma grande eclusa a fim de aliviar a pressão de um "lago deterremoto" cada vez maior. Segundo meios de comunicação, há planos de retirar centenasde milhares de pessoas da região. O número oficial de mortos pelo terremoto de magnitude 7,9que atingiu a província de Sichuan no dia 12 de maio elevou-sena terça-feira para 67.183, e deve subir ainda mais já queexistem 20.790 pessoas dadas como desaparecidas. O abalosísmico deixou feridas quase 362 mil pessoas. Soldados e policiais levaram dinamite até o lagoTangjiashan para explodir barreiras de lama e destroçosresponsáveis por bloquear o curso de um rio e criar o maior dos35 "lagos de terremotos" formados pelos deslizamentos de terraresultantes do poderoso tremor. Cerca de 30 mil pessoas que vivem perto do lago, dentro enas cercanias de Beichuan, foram retiradas de suas casas comomedida de precaução. No município de Mianyang, do qual a cidadede Beichuan faz parte, 150 mil pessoas devem ser retiradas atéa meia-noite de terça-feira. O lago subiu para 725,3 metros na segunda-feira, ficando aapenas 26 metros do ponto mais baixo da barreira de contenção. À meia-noite de segunda-feira, cerca de 600 engenheiros esoldados encontravam-se na área e revezavam-se para atravessara noite trabalhando. Os militares devem concluir a construção da eclusa no dia 5de junho, de forma que não devem tirar água do lago porenquanto, apesar de o nível das águas ter subido 1,79 metro naterça-feira e de as autoridades prepararem-se para o pior doscenários, disse a Xinhua. No total, 28 "lagos de terremoto" ainda são consideradosperigosos e 379 reservatórios de água danificados eramavaliados como de "alto risco", disse a Xinhua. O mais poderoso dos milhares de tremores pós-terremoto queatingiram a região matou ao menos oito pessoas, no domingo,interrompendo os esforços de ajuda e deixando apavorados ossobreviventes. Na terça-feira, o primeiro-ministro da China, Wen Jiabao,disse que os esforços de ajuda passariam a se concentrar agoranas obras de reconstrução voltadas a atender os 15 milhões depessoas expulsas de suas casas pelo abalo sísmico. O atual e gigantesco esforço de ajuda humanitária, queinclui fornecer comida, barracas e roupas para milhões devítimas, e as obras de reconstrução das casas e das instalaçõesde infra-estrutura devem demorar até três anos. (Reportagem adicional de Sally Huang, Guo Shipeng, BenBlanchard, Benjamin Kang Lim e Ian Ransom em Pequim)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.