Novos tremores geram alerta de tsunami no Pacífico

Terremotos de 7,8 e 7,3 graus atingiram o arquipélago de Vanuatu.

BBC Brasil, BBC

07 de outubro de 2009 | 21h15

Um alerta de tsunami foi acionado em 11 nações no sudoeste do Pacífico depois que dois terremotos - de 7,8 e 7,3 graus na escala Richter - atingiram o arquipélago de Vanuatu.

Segundo a US Geological Suvey, o primeiro tremor foi o mais forte e o epicentro foi a 295 quilômetros ao norte da maior ilha do arquipélago, Santo. O terremoto atingiu a região a uma profundidade de 33 quilômetros.

Ainda não há relatos de vítimas ou dos possíveis danos causados pelos tremores.

Logo depois dos terremotos, um alerta de tsunami foi acionado para Vanuatu, Fiji, Papua Nova Guiné, Austrália, Nova Zelândia, e outras ilhas da região.

Segundo a sede do Serviço Nacional de Clima dos EUA na região do Pacífico, um terremoto desta magnitude tem o potencial de geral um "tsunami destrutivo".

Moradores de algumas áreas costeiras já começaram a ser rerados de casa como medida de precaução.

Na semana passada, mais de 170 pessoas morreram em um tsunami provocado por um terremoto que atingiu as ilhas de Samoa, Samoa Americana e Tonga.

Os três territórios foram incluídos em um alerta menor de tsunami.

Desastres

Além do terremoto em Vanuatu, outro tremor atingiu a região do Pacífico nesta quarta-feira.

Um terremoto de 6,7 graus na escala Richter atingiu as Filipinas, mas não gerou alertas de tsunami.

Ao mesmo tempo, a passagem do tufão Melor no Japão destruiu casas, danificou o sistema de transporte e deixou diversos feridos.

O tufão atingiu a ilha de Honshu com ventos de aproximadamente 150 km/hora e provocou tempestades e enchentes.

Centenas de escolas estão fechadas por medida de precaução e diversos voos e serviços ferroviários foram cancelados ou suspensos.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
ásiaterremototsunamivanuatumelor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.