Novos tremores no vulcão islandês expelem mais cinzas

A nuvem de poeira poupou a capital Reykjavik, mas seguiu em direção ao sul da Europa

18 de abril de 2010 | 09h20

Poeira. Apesar da última explosão, a coluna de cinzas diminuiu de 11 para cerca de 4 a 5 quilômetros

 

REYKJAVIK - Fortes tremores vindos do vulcão islandês Eyjafjallajökull ameaçaram centenas de viajantes que atravessavam o país neste domingo, 18, quando erupções jorraram inúmeras cinzas para o céu.

 

A poeira, que seguiu em direção ao sul da Europa, poupou a capital Reykjavik e outros centros populacionais islandeses. No entanto, atingiu áreas em que vivem muitos fazendeiros.

 

O escritório de metereologia da Islândia afirmou que os tremores se tornaram mais intensos de sábado para domingo, mas a coluna de cinzas tem diminuído para cerca de 4 a 5 quilômetros, bem menor do que os 11 quilômetros de quando tinha começado essa semana.

 

"Nós estamos vendo sinais mesclados. Há algumas pistas que mostram que a erupção vai diminuir e outras que ela não está melhorando", disse a Reuters o geofísico Einar Kjartansson, do escritório de metereologia da Islândia.

 

Um ponto positivo para as pessoas da área é que não há ameaça direta de fluxos de lava.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.