Novos vazamentos de petróleo são detectados em poço da ConocoPhillips

Petrolíferas envolvidas haviam assegurado que os escoamentos já tinham sido controlados

Efe,

12 de julho de 2011 | 04h38

PEQUIM - Novos despejos de petróleo e manchas deste material na água foram descobertos na zona do Mar Amarelo, onde no mês passado houve dois vazamentos em um poço das petrolíferas CNOOC (chinesa) e ConocoPhillips (americano), informou nesta terça-feira, 12, a imprensa estatal chinesa.

Segundo a agência Xinhua, os investigadores dos acidentes de junho descobriram que a jazida Penglai 19-3, na baía de Bohai, continua vertendo ao mar certa quantidade de petróleo em sua plataforma C, enquanto imagens por satélite mostram manchas de petróleo em águas próximas a essa estrutura e à plataforma B.

Isto alarmou as autoridades, já que as petrolíferas envolvidas haviam assegurado que os vazamentos tinham sido controlados em 21 de junho, pelo que a Administração Oceânica Estatal exigiu que as companhias detenham os despejos imediatamente e acelerem as medidas para fazer frente ao problema.

O órgão também exigiu que a ConocoPhillips, que opera o poço e foi considerada a principal responsável pelos acidentes, explique de forma apropriada por que o problema persiste.

Tanto ConocoPhillips como CNOOC sofreram fortes críticas pelos vazamentos de junho, já que levaram duas semanas para informar sobre eles e só fizeram-no quando rumores sobre os acidentes começaram a circular pela internet.

Além disso, inicialmente as companhias minimizaram o problema, assegurando que o petróleo que vazou ao mar havia causado uma maré negra de apenas 200 metros quadrados, quando depois o governo chinês mostrou que a superfície afetada chegava a 840 quilômetros quadrados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.