NTSB: Teste com bateria de Boeing 787nada revelou

Testes e análises de laboratório realizados após um incêndio causado por uma das baterias de um Boeing 787, no começo do mês, não trouxeram revelações importantes, informou hoje o Bureau de Segurança Nacional de Transportes (NTSB) dos Estados Unidos.

AE, Agência Estado

27 de janeiro de 2013 | 21h25

No dia 7 de janeiro, uma das baterias de um Boeing 787 Dreamliner da Japan Airlines (JAL) pegou fogo logo após a aeronave pousar no Logan International Airport, em Boston. O avião tinha sido entregue à companhia aérea apenas três semanas antes do incidente.

Todos os 787 Dreamliner foram proibidos de voar após o incêndio no avião da JAL e outro problema de bateria, dessa vez em uma aeronave da All Nippon Airways (ANA), pouco mais de uma semana depois. Este incidente obrigou a tripulação a fazer um pouso de emergência e esvaziar o avião.

O NTSB disse ainda que testes realizados em equipamentos relacionados às baterias e obtidos junto a dois fornecedores no Arizona mostraram que as unidades "operaram normalmente, sem descobertas significativas".

Investigadores também examinaram alguns circuitos de bateria no Japão, mas as peças estavam danificadas, o que limitou a obtenção de informações, disse o NTSB. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Boeing 787bateria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.