Baz Ratner/Reuters
Baz Ratner/Reuters

Número de baixas no Afeganistão será alto, diz general dos EUA

Exército americano entrará na segunda semana da ofensiva contra a insurgência Taleban no sul do país

estadao.com.br,

22 de fevereiro de 2010 | 08h42

O número de baixas entre soldados americanos na ofensiva no Afeganistão "será grande", disse no domingo o chefe do Comando Centra do Exércitos dos EUA, o general David Petraeus, à rede de televisão NBC, segundo informa o site da CNN.

 

"Será duro, como foi duro no Iraque", disse o general, referindo-se à operação de combate ao Taleban que já dura uma semana na região sul do Afeganistão.Entre janeiro de 2007 e julho de 2008, o número de soldados mortos no Iraque foi de 1.125, mais de um quarto do total de 4.379 mortos durante toda a guerra no país do Oriente Médio.

 

"A realidade é que é uma situação dura, mas estamos no Afeganistão por um motivo muito, muito importante, e não podemos esquecer disso", acrescentou Petraeus. "Estamos lá para assegurar que não será a origem de ataques como o de 11 de setembro", disse.

 

Apesar da forte resistência encontrada durante a operação Moshtarak, na província de Helmand, o general disse que os insurgentes estão divididos. "Quando realizamos uma ofensiva, quando tomamos locais

VEJA TAMBÉM:
especial Especial: 30 anos de violência
estratégicos do Taleban e outros grupos extremistas, eles vão responder à altura. Estamos vendo isso em Marjah, vamos ver isso em outras áreas, mas estamos perseguindo-os", continuou Petraeus.

 

O chefe do Comando Central notou que a ofensiva é apenas "o passo inicial" do que será uma campanha militar de 12 ou 18 meses, e os resultados ainda não sejam visíveis. "Temos mais forças especiais sendo destacadas, e os resultados já começaram a aparecer. Líderes do Taleban foram capturados e outros alvos foram abatidos", concluiu o general.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.