Número de civis mortos sobe 15% no Afeganistão

O número de civis mortos por causa da violência relacionada à guerra no Afeganistão subiu 15% no primeiro semestre deste ano, segundo um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) divulgado hoje. De acordo com o documento, pelo menos 1.462 civis morreram no período, ante 1.271 vítimas nos primeiros seis meses de 2010.

AE, Agência Estado

14 de julho de 2011 | 17h58

O número de ataques suicidas continua estável na comparação com o ano passado, mas o número de civis mortos nesses atentados subiu 52%, diz o relatório. "Ataques suicidas se tornaram mais complexos neste ano, geralmente com o uso de vários suicidas em ataques espetaculares que matam muitos civis", afirma o documento.

Ataques aéreos, realizados pela coalizão liderada pelos Estados Unidos, ainda são a principal causa de mortes de civis provocadas por forças pró-governo. No primeiro semestre do ano, 79 mortes de civis foram atribuídas a essas ações, 14% a mais do que no mesmo período de 2010. Esses números incluem todos os ataques ou ataques aéreos disparados por veículos militares, incluindo disparos e bombas lançados de aviões, helicópteros e aviões não tripulados, informa o relatório da ONU.

Já o mês de maio foi o mais violento para civis afegãos desde que a ONU começou a fazer a contagem em 2007, com 368 mortes. O número de civis feridos também subiu, em 7%. Nos primeiros seis meses do ano, 2.144 civis ficaram feridos, ante 1.997 no mesmo período do ano passado. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistãoviolênciamortescivis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.