Número de civis resgatados no Sri Lanka chega a 35 mil

As forças de segurança do Sri Lanka capturaram hoje uma linha de defesa da guerrilha Exército de Libertação dos Tigres do Tamil Eelam (LTTE) e resgataram pelo menos 35 mil civis detidos para serem usados como escudos humanos, afirmou o presidente do país, Mahinda Rajapaksa. O governo deu um ultimato ao LTTE. Os soldados tomaram o controle de um aterro de três quilômetros em Puthumathalan, localizado dentro da zona designada pelo governo como "desmilitarizada", segundo o porta-voz do Exército Udaya Nanayakkara.

AE-AP, Agencia Estado

20 de abril de 2009 | 10h54

"Este é o maior resgate já feito de uma só vez e acreditamos que o número de civis atravessando para o nosso lado vai aumentar", disse Nanayakkara. O governo acusa os rebeldes de usarem dezenas de milhares de civis como escudos humanos, o que a guerrilha nega. O LTTE tenta evitar uma derrota total, depois de lutar por um Estado independente durante 25 anos.

O governo do Sri Lanka deu aos rebeldes um prazo de 24 horas para que se entreguem. Caso contrário, eles enfrentarão uma investida militar final, afirmaram funcionários. O governo divulgou o ultimato em comunicado, dando ao líder do LTTE Velupillai Prabhakaran e a seus comandados o prazo de um dia, a partir desta segunda-feira, ao meio dia (hora local).

Tudo o que sabemos sobre:
Sri Lankaguerra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.