Número de mortes causadas pelo furacão Ivan chega a 88

Depois de matar 70 pessoas em sua passagem pelo Caribe, o furacão Ivan chegou ao território americano, onde continua a causar mortes e devastação. Os Estados mais afetados são Alabama, Louisiana, Mississippi, Carolina do Sul e o extremo oeste da Flórida. Desde que o furacão chegou aos Estados Unidos, o fenômeno perdeu força, mas mesmo assim causou a morte de pelo menos outras 18 pessoas, sendo 13 na Flórida."Devastação é a melhor palavra para descrever o que houve aqui", disse o tenente Rodnay Eagerton, da polícia de Pensacola, cidade de 60.000 habitantes no oeste da Flórida. "Todos ficamos sem eletricidade nem serviço de água. Temos centenas de árvores caídas, todos os semáforos destruídos e ruas e estradas cobertas pela água. As casas de todas as áreas da cidade sofreram danos."Nova Orleans, uma cidade especialmente vulnerável a tempestades por situar-se abaixo do nível do mar, experimentou por enquanto apenas ventos fortes e um pouco de chuva. O presidente dos EUA, George W. Bush, declarou estado de emergência nos Estados do sul e decretou a concessão de ajuda federal para Mississippi, Alabama e Louisiana. A Flórida, que já tinha sofrido os efeitos de outros dois furacões, o Charley e o Frances, a partir de 13 de setembro, também poderá ser beneficiada com mais fundos federais.Na manhã de hoje, ao chegar à porção continental dos EUA, os ventos do Ivan superavam os 200 quilômetros por hora. Às 16h locais (17h em Brasília), a tempestade estava sobre o Alabama e havia se transformado num furacão de categoria 1, com ventos de 97 km/h.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.