Número de mortes em terremoto no Irã sobe para 250

O número de mortes causadas pelo dois terremotos que atingiram o Irã no sábado aumentou para 250, informou a televisão estatal iraniana. Os feridos chegam a mais de 2 mil. Milhares de pessoas passaram a noite fora de suas casas depois que vilarejos foram destruídos e residências foram danificadas no noroeste do país. Imagens da rede iraniana mostraram dezenas de famílias dormindo em cobertores espalhados em parques.

AE - AP, Agência Estado

12 de agosto de 2012 | 11h49

Mais de mil equipes de resgate trabalharam durante a noite para libertar pessoas presas sob escombros e chegar a algumas das aldeias remotas afetadas pelos tremores. A TV estatal também mostrou feridos sendo transportados em macas, enquanto outros eram submetidos a tratamento para membros quebrados e contusões em leitos hospitalares. No início da tarde deste domingo no Irã, a rede relatou que as operações de resgate haviam cessado. Centenas de barracas foram criadas para abrigar os sem-teto.

O Serviço Geológico dos EUA (UGSS, na sigla em inglês) informou que o primeiro terremoto de sábado teve magnitude de 6,4 graus e ocorreu 37 milhas (59,6 quilômetros) a nordeste da cidade de Tabriz, a uma profundidade de 9,9 quilômetros. A TV estatal citou o chefe do comitê de crise local chefe Khalil Saei, dizendo que o epicentro estava em uma região entre as cidades de Ahar e Haris, cerca de 200 milhas (321,9 quilômetros) a noroeste da capital Teerã.

O UGSS informou ainda que o segundo abalo teve magnitude de 6,3 graus e ocorreu 11 minutos depois. O seu epicentro foi 29 milhas (48 quilômetros) a nordeste de Tabriz, a uma profundidade de 6,1 milhas (9,8 quilômetros).

Os terremotos atingiram ainda as cidades de Ahar, Haris e Varzaqan - a última, no leste do Azerbaijão -, segundo a televisão estatal iraniana. Pelo menos seis aldeias foram totalmente destruídas e outras 133 sofreram danos que variam entre 50% e 80%.

Cerca de 36 tremores secundários sacudiram a mesma área e foram sentidos em uma região próxima do Mar Cáspio, causando pânico entre a população. O Irã se localiza em uma região de linhas de falhas sísmicas, propensa a terremotos. O país enfrenta pelo menos um terremoto por dia, em média, embora a maior parte deles é tão fraca que passa despercebida.

Em 2003, cerca de 26 mil pessoas morreram em um terremoto de magnitude de 6,6 graus que destruiu a cidade histórica de Bam, no sudeste do país.

Tudo o que sabemos sobre:
TerremotoIrãmortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.