Mehdi Fedouch/AFP
Mehdi Fedouch/AFP

Número de mortes por covid-19 na França passa de 13 mil 

Em toda a França, há 90.676 casos confirmados de infecção por coronavírus e 24.932 pessoas já foram curadas da covid-19

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de abril de 2020 | 17h16

PARIS - O número de mortes por covid-19 na França subiu nesta sexta-feira, 10, para 13.197, das quais 554 ocorreram nas últimas 24 horas. Entre as vítimas se registra a morte de um menino de menos de 10 anos na região parisiense.  

O diretor-geral de Saúde do país, Jérôme Salomon, disse em entrevista coletiva que 8.598 das mortes foram registradas em hospitais e 4.599 em residências e asilos.

Salomon também informou que 31.267 pessoas estão internadas em hospitais e 7.004 em unidades de tratamento intensivo (UTI), o que reflete, segundo ele, que o progresso da pandemia continua "muito dinâmico" e as medidas de isolamento devem ser mantidas.

O diregor-geral relatou que entre as vítimas das últimas 24 horas há a de um menino, de menos de 10 anos, que estava em terapia intensiva, em Île de France (região parisiense). "Mas as causas dessa morte parecem múltiplas, apesar de que foi diagnosticado com uma infecção por covid-19."

Trata-se da primeira morte de um menino tão jovem na França, onde uma adolescente de 16 anos morreu no fim de março com com a covid-19.

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Em toda a França, há 90.676 casos confirmados de infecção por coronavírus, com 4.342 registrados de ontem para hoje. Além disso, 24.932 pessoas já foram curadas de covid-19.

As medidas de confinamento da população começaram no país em 17 de março e, após uma prorrogação até 15 de abril, o presidente Emmanuel Macron deverá anunciar uma nova extensão do prazo em pronunciamento à nação que fará na segunda-feira. / EFE e AFP  

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.