Número de mortes por ebola em Uganda sobe para 16

O total de mortes em decorrência de um surto de ebola no oeste de Uganda subiu para 16, depois que outras duas pessoas morreram com a doença, afirmaram autoridades de saúde na quarta-feira. Eles acreditam, porém, que o pior já passou.

Reuters

01 de agosto de 2012 | 16h18

Dezoito pessoas estão no isolamento em um hospital do distrito de Kibaale, onde o surto teve início, e equipes de saúde estão visitando os vilarejos para isolar pessoas possivelmente infectadas e recomendar medidas preventivas aos outros.

Não há tratamento específico para o ebola, transmitido pelo contato próximo e por fluidos corporais, como saliva, vômito, fezes, suor, sêmen e sangue.

As autoridades de saúde estão esperançosas de que não haverá uma repetição da gravidade do surto de ebola em Uganda do ano 2000, quando 425 pessoas foram infectadas pelo vírus e metade delas morreu.

"Foi triste termos registrado mais duas mortes... mas também estamos animados pelo fato de que não estamos recebendo mais casos novos", disse o funcionário de saúde an Kyamanywa, no distrito de Kibaale. As mortes mais recentes ocorreram na noite de terça-feira, afirmou ele.

(Reportagem de Elias Biryabarema)

Tudo o que sabemos sobre:
UGANDAEBOLA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.