Número de mortos e desaparecidos no Japão chega a 28 mil

Segundo dados oficiais, há 10.660 pessoas mortas, mas cifra deve aumentar com a retirada dos corpos das ruínas

Cláudia Trevisan, O Estado de S.Paulo

26 de março de 2011 | 00h00

Duas semanas depois do terremoto seguido de tsunami que devastou a costa nordeste do Japão, o número de mortos e desaparecidos atingiu 28 mil e poderá subir ainda mais na medida em que corpos sejam retirados dos escombros das casas destruídas ou devolvidos pelo mar.

Oficialmente, há 10.660 pessoas mortas e 17.400 desaparecidas. O número supera em muito o total de vítimas do terremoto na cidade japonesa de Kobe, que deixou mais de 6.400 mortos em 1995.

O primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, afirmou que a dupla catástrofe que atingiu o país é a mais devastadora tragédia enfrentada pelo Japão desde a 2.ª Guerra, quando bombas atômicas foram lançadas sobre as cidades de Hiroshima e Nagasaki.

Mais de 250 mil pessoas continuam vivendo em abrigos, depois que suas casas foram totalmente destruídas pelo tremor ou pelas ondas gigantes que varreram a costa do país. Segundo estimativas, ao menos 18.300 prédios foram completamente destruídos pela catástrofe. O governo começou a construir casas provisórias para receber essa população, mas as primeiras deverão estar prontas só no fim de maio.

Funcionários japoneses dizem que as perdas com a destruição de casas, estradas e infraestrutura e atividades empresariais podem ultrapassar os US$ 309 bilhões. E o Banco Mundial disse que a reconstrução do Japão pode levar mais de cinco anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.