Número de mortos em acidente em hidrelétrica pode chegar a 76

As 64 pessoas que não foram resgatadas após um acidente ocorrido na segunda-feira em uma hidrelétrica na Sibéria estão provavelmente mortas, afirmou ontem o diretor da usina, Vasily Zubakin. O governo russo já havia confirmado a morte de 12 pessoas. Investigações preliminares indicaram que a tragédia teve início quando houve um aumento repentino de pressão na tubulação da usina Sayano-Shushenskaya. A força da água destruiu o teto e as paredes da sala das turbinas, que foi inundada em poucos segundos. "Encontrar algum sobrevivente em um local totalmente inundado é improvável, mas os trabalhos de busca continuam", afirmou Zubakin. Equipes de resgate afirmaram que os trabalhadores morreram afogados ou prensados entre os destroços.Não são raros na Rússia acidentes como o colapso de minas, explosões em gasodutos e outras catástrofes relacionadas à infraestrutura precária da era soviética. Após a crise econômica global, os ambiciosos planos do Kremlin de renovar rodovias, portos e usinas foram adiados.Uma TV local divulgou imagens que mostram a explosão na usina, seguida por um torrencial fluxo de água. A empresa que construiu as turbinas disse que elas são velhas demais para continuar em funcionamento. "As turbinas têm mais de 30 anos. Não há mais nenhuma garantia válida", disse Maria Aliyeva, porta-voz da empresa Power Machine.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.