Número de mortos em ataque a reduto do Hezbollah no Líbano chega a 24

Governo investiga se suicida explodiu carro ou se bomba foi detonada remotamente

O Estado de S. Paulo,

16 de agosto de 2013 | 09h53

BEIRUTE - O número de mortos por um carro-bomba que explodiu na quinta-feira, 15 no sul de Beirute, reduto do grupo militante libanês Hezbollah, subiu hoje para 24 e o governo disse que está investigando se a explosão foi um ataque suicida.

O ministro do Interior libanês, Marwan Charbel, disse que os investigadores foram verificar imagens de CCTV capturadas nos momentos antes da explosão para ver se a van que se acreditava estar transportando a bomba tinha sido conduzida por um suicida ou foi detonada remotamente.

"A primeira hipótese é que o motorista se explodiu, enquanto a segunda hipótese é que o carro pode ter sido detonado à distância", disse Charbel, segundo reportou a Agência Nacional de Notícias do Líbano.

Repórteres que chegaram ao local depois da explosão viram um carro queimado perto do centro da rua, o que sugere que o veículo estava sendo conduzido quando explodiu.

O parlamentar Ali Ammar, do Hezbollah, disse a repórteres no sul de Beirute na sexta-feira que o número de mortos chegou a 24, enquanto o ministro da Saúde, Ali Hassan Khalil, disse que 21 corpos foram levados para hospitais e outras 335 pessoas feridas foram atendidas.

A discrepância no número de mortos pode ser resultante da dificuldade em coletar e idenficar corpos que ficaram muitos danificado na explosão.

Entre as vítimas está uma família de cinco pessoas - pai, mãe e suas três filhas -, mortos em seu carro pela explosão, que destruiu vários veículos e incendiou brevemente os pisos inferiores do edifício adjacente, encurralando moradores. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
HezbollahLíbano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.