Número de mortos em atentado suicida em Bagdá sobe para 213

Combatente do Estado Islâmico detonou um carro-bomba no domingo provocando incêndios em vários edifícios e lojas

O Estado de S.Paulo

04 de julho de 2016 | 08h51

BAGDÁ - Ao menos 213 pessoas morreram no atentado suicida cometido no domingo em Bagdá pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI), de acordo com um balanço atualizado divulgado pelas autoridades iraquianas nesta segunda-feira, 4. O atentado também deixou mais de 200 feridos, informou o governo.

Um combatente do EI detonou um carro-bomba em uma rua do bairro comercial de Karrada. A explosão provocou incêndios em vários edifícios e lojas do bairro. As ruas ficaram repletas de destroços e carros queimados.

Este é o atentado mais violento em Bagdá no último ano e um dos mais graves ocorridos no Iraque.

A identificação das vítimas pode levar muito tempo já que os corpos foram despedaçados com a força da explosão.

O ataque deixou em evidência a incapacidade do governo iraquiano de aplicar medidas de segurança eficazes em Bagdá. O primeiro-ministro, Haider al-Abadi, decretou luto nacional de três dias e prometeu "punir" os responsáveis pela ação.

Apesar das derrotas sofridas no Iraque e na Síria, os jihadistas do EI mantém a capacidade de cometer grandes atentados no centro da capital iraquiana. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.