Número de mortos em confrontos no Egito sobe para 17

Funcionários de Segurança e Saúde do Egito disseram que o número de mortos em novas manifestações no país subiu para 17, após dezenas de milhares de partidários da Irmandade Muçulmana irem às ruas para desafiar o estado de emergência imposto pelo Exército após os confrontos sangrentos no Cairo nesta semana.

Agência Estado

16 de agosto de 2013 | 11h49

Funcionários de Segurança disseram que oito pessoas foram mortas na província Dumyat, no Delta do Nilo, no norte do Cairo, e quatro pessoas morreram na cidade de Ismailiya, no Canal de Suez. A causa das mortes não foi imediatamente esclarecida. Os funcionários disseram que cinco policiais morreram também no país.

A Irmandade Muçulmana disse que 25 pessoas morreram em um local de protesto, na praça Ramses, no Cairo.

A violência emergiu à medida que islâmicos marcharam em várias cidades de todo o Egito, no que eles batizaram de "sexta-feira da ira" para protestar contra a morte de 638 pessoas durante uma operação das forças de segurança para desmontar acampamentos de protestos. Fonte: Dow Jones Newswires e da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Egitoviolênciamortosatualiza 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.