Número de mortos em explosão na Venezuela vai a 41

Subiu para 41 o número de mortos na explosão ocorrida na refinaria de Amuay, a maior da Venezuela e uma das maiores do mundo, disseram autoridades locais. Mais de 80 pessoas ficaram feridas no acidente.

RENAN CARREIRA E ANGELO IKEDA, Agência Estado

26 de agosto de 2012 | 21h13

A explosão, provocada por um vazamento de gás, ocorreu pouco depois das 11 horas de sexta-feira no horário de Brasília (1 hora de sábado, no horário local), segundo o ministro do Petróleo, Rafael Ramírez. A refinaria está localizada no Estado de Falcon, no nordeste do país, a cerca de 530 quilômetros de Caracas.

No domingo, bombeiros ainda tentavam controlar o fogo, que estava limitado a dois tanques de armazenamento de gás. Mesmo assim, densas colunas de fumaça negra eram visíveis a pelo menos 30 quilômetros de distância.

A Amuay faz parte do complexo de Paraguana, que também inclui a refinaria de Cardón. Juntas, as refinarias processam 900 mil barris de petróleo e 200 mil barris de gasolina por dia. As autoridades governamentais prometeram reiniciar as operações dentro de dois dias e disseram que o país tem reserva para atender as necessidades domésticas e os compromissos de exportação.

O presidente Hugo Chávez declarou três dias de luto e ordenou uma investigação para determinar a causa da explosão. "Isso (esse acontecimento) afeta todos nós", disse, por telefone, à televisão estatal. "É (um episódio) muito triste, muito doloroso". As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Venezuelaexplosãorefinariamortos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.