Número de mortos em mesquita supera 100; quatro presos

A polícia iraquiana prendeu quatro suspeitos de relação com o atentado a bomba contra o santuário xiita mais sagrado do Iraque e que teriam ligação com a rede terrorista Al-Qaeda de Osama bin Laden. A informação é de uma importante autoridade policial, que declarou à Associated Press que o número de mortos já chega a 107.Segundo o policial, que chefia a investigação inicial sobre a explosão, os prisioneiros, dois iraquianos e dois sauditas, falaram sobre planos para matar líderes religiosos e políticos - o aiatolá Mohammed Baqir al-Hakim, uma das principais lideranças religiosas do Iraque, morreu no antentado de sexta-feira - e para danificar a infra-estrutura nacional, como usinas de eletricidade e oleodutos.O policial, que se recusa a ter o nome revelado, disse quea bomba colocada na mesquita do Imã Ali, local de sepultamento do genro do profeta Maomé, foi feita com o mesmo tipo de material usado no ataque de 19 de agosto contra o prédio que sediava a ONU em Bagdá. Segundo o FBI< a bomba usada contra a ONU foi feita com munição deixada pelo regime de Saddam Hussein, com muitos materiais originários da antiga União Soviética.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.