Número de mortos em mina na Polônia já chega a 24

Equipes de resgate encontraram os corpos de outros 16 mineiros mortos em uma explosão de gás metano em uma mina de carvão na Polônia, fazendo com que o número de mortes chegue a 24. Na quarta-feira, outros oito corpos já tinham sido encontrados. De acordo com Zbigniew Madej, porta voz da Coal Co., companhia que administra a mina, outros dois mineiros ainda estão desaparecidos. A explosão ocorreu na terça-feira. A mina fica em Ruda Slaska, em Silésia, a 300 quilômetros de Varsóvia. Cerca de 70 integrantes de equipes de resgate trabalham desde terça-feira para tentar retirar os escombros, que cobrem uma profundidade de 500 metros, e alcançar os homens presos a cerca de um quilômetro abaixo do solo. "Qualquer ato sem planejamento pode causar outras explosões e ainda mais vítimas", informou o chefe de resgate no local, Boguslaw Ozog. O presidente polonês Lech Kaczynski sobrevoou a área do acidente e se encontrou com familiares de vítimas, nesta quarta-feira. "Eu deveria estar aqui, esta é uma importante visita", disse ele aos familiares. O primeiro-ministro Jaroslaw Kaczynski também foi até o local do acidente e declarou luto nacional pela morte dos mineiros. ´O inferno lá embaixo´ Os esforços para alcançar as vítimas soterradas pela explosão foram dificultados pelas péssimas condições no local, onde há falta de oxigênio e temperatura de 40º C. O trabalho de resgate também foi atrasado pelo temor de novas explosões, devido à alta concentração de gás metano no local. "É o inferno. É impossível respirar na área da explosão, a ventilação foi destruída", disse Zbigniew Madej, porta-voz da empresa estatal responsável pela mina de Halemba. As esperanças de encontrar os mineiros vivos estão diminuindo devido às condições extremas no subsolo, segundo informações de representantes da mineradora. Segundo o diretor da empresa estatal de mineração, Grzegorz Pawlaszek, a mina havia sido fechada em março devido ao alto nível de gás, mas os mineiros estavam lá para resgatar equipamentos deixados no local e que valem US$ 23 milhões. Mais de 80 mineiros morreram na Polônia desde 2003. Em 1990, uma explosão em Halemba matou 19 mineiros. Os piores acidentes deste tipo já registrados no país aconteceram entre 1974 e 1979, quando explosões mataram 34 mineiros nas cidades de Czechowice-Dziedzice.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.