Número de mortos em seqüestro de teatro sobe para 120

Uma mulher que foi mantida refém por seqüestradores chechenos num teatro de Moscou morreu, elevando para 120 o número de mortos entre os cativos. A mais recente vítima faleceu devido a uma insuficiência cardíaca aguda, informou Lyubov Zhomova, porta-voz do Departamento de Saúde de Moscou.Outros 149 ex-reféns continuam internados em hospitais da capital russa, seis deles em estado grave, disse ela, numa conversa por telefone. Enquanto isso, um médico que ajudou a cuidar dos reféns defendeu, nesta segunda-feira, o uso do gás anestésico - espalhado no teatro para impedir que os seqüestradores completassem seu atentado suicida - como a única solução viável para a crise.O doutor Leonid Roshal elogiou a "coragem" do presidente Vladimir Putin ao autorizar a ação. Segundo ele, a solução encontrada pelas tropas de elite foi a "única forma de salvar vidas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.