Número de mortos em terremoto na China chega a 381

Tremor teve magnitude 6,1 e ocorreu a uma profundidade de 10 km, segundo o Instituto Geológico dos Estados Unidos

AE, O Estado de S. Paulo

04 de agosto de 2014 | 00h49

As buscas por sobreviventes do forte terremoto que atingiu o sul da China neste final de semana seguem em meio ao temor de que as condições climáticas prejudiquem os trabalhos. Segundo informações da agência de notícias estatal Xinhua, ao menos 381 pessoas morreram e mais de 1,8 mil estão feridos numa das maiores tragédias dos últimos anos da província de Yunnan.

Cerca de 12 mil casas desabaram em Ludian, um distrito densamente povoado ao noroeste de Kunming, capital de Yunnan, segundo relatos da imprensa oficial.

O tremor teve magnitude 6,1 e ocorreu às 4h10 da madrugada (hora local) a uma profundidade de 10 quilômetros, segundo o Instituto Geológico dos Estados Unidos. A agência que monitora os tremores na China informam que a magnitude foi de 6,5.

Segundo informações climáticas, haverá chuva nas próximas horas na região da tragédia, o que complicará o traslado de tendas de campanha, água potável, alimentos e outros suprimentos aos sobreviventes.

Equipes de socorro estimam que é possível que o número de mortos suba quando os profissionais chegarem às comunidades remotas.

A tragédia já tem causado comoção internacional. Após declarações da ONU, o governo dos EUA expressou suas condolências ao país. "Oramos pelas famílias daqueles que perderam a vida", disse a porta-voz adjunta do Conselho de Segurança Nacional, Bernadette Meehan. "Os Estados Unidos estão prontos para prestar assistência." Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaTerremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.