Número de mortos em terremoto na Itália chega a 293

País reduz esperança de encontrar sobreviventes nos escombros do terremoto que atingiu o centro do país

Agências internacionais,

11 de abril de 2009 | 10h48

O terremoto que atingiu a região central da Itália provocou a morte de 293 pessoas, segundo dados dos grupos de busca que ainda trabalham na região. A busca por sobreviventes continua. Em um edifício de quatro andares que desmoronou, onde sinais de vida foram detectados por cachorros, os grupos de resgate continuam revirando os entulhos. Porém, a busca por sobreviventes deve terminar no domingo, uma semana depois do terremoto que destruiu cerca de 10 mil prédios e deixou perto de 40 mil pessoas desabrigadas.

 

Veja também:

Novo tremor atinge a cidade de Áquila

email Está na Itália? Envie seu relato

lista Brasileiros contam como enfrentaram o tremor

lista Cronologia: Piores tremores dos últimos anos

especialEntenda como acontecem os terremotos

mais imagens Veja imagens do funeral das vítimas

 

Funcionários que trabalham no resgate de vítimas buscam neste sábado o que podem ser os últimos sobreviventes dos terremotos e tremores que devastaram regiões da Itália nesta semana, mas afirmam que há poucas garantias de que ainda existam pessoas vivas embaixo dos escombros.

 

Cães farejadores perceberam cheiros humanos na noite de sexta-feira vindo das ruínas do que foi um prédio de quatro andares em Áquila, cidade medieval atingida por um terremoto de magnitude 6,3 na escala Richter. Os funcionários de resgate também ouviram ruídos. Mas a região ficou silenciosa durante a noite e os oficiais afirmaram que os cães podem ter farejado corpos sem vida ou mesmo sangue. Pelo menos nove corpos já foram retirados daquela região, segundo os bombeiros.

 

"Escavamos durante toda a noite e agora temos apenas de esperar. Já não ouvimos quase nada agora", afirmou um deles à Reuters. No sexto dia após o terremoto, a esperança de encontrar pessoas vivas é cada vez menor. O último sobrevivente resgatado, um jovem de 20 anos, foi retirado dos escombros na terça-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
TerremotoItália

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.