Número de mortos já chega a 5.429 no Japão

Polícia confirmou que 9.594 pessoas estão desaparecidas; 500 mil deixaram suas casas

Efe

17 de março de 2011 | 10h01

 

 

 

TÓQUIO - As autoridades do Japão já registram 5.429 mortos e 9.594 desaparecidos em decorrência do terremoto e posterior tsunami do último dia 11 no nordeste do país, tal como informa o último cômputo oficial divulgado nesta quinta-feira, 17, pela polícia. Teme-se que o número final de vítimas aumente ainda em alguns municípios das províncias mais afetadas, como Iwate, Miyagi e Fukushima.

 

Veja também:

blog Twitter: Siga a correspondente Cláudia Trevisan, que está no Japão

especial Infográfico: Entenda o terremoto maiores tragédias dos últimos 50 anos

especial Especial: A crise nuclear japonesa

documento Relatos: envie textos, vídeos e fotos para portal@grupoestado.com.br

som Território Eldorado: Ouça relato do embaixador e de brasileiros no Japão

mais imagens Galeria de fotos: Tremor e tsunami causam destruição

blog Arquivo Estado: Terremoto devastou Kobe em 1995

 

Mais de 100 mil militares e reservistas japoneses, auxiliados por voluntários estrangeiros especialistas em salvamento, trabalham na zona devastada em busca de sobreviventes que ainda possam estar sob os escombros ou talvez arrastados mar adentro pelo tsunami de dez metros de altura.

 

As equipes de resgate lutam contra o intenso frio ao norte da ilha de Honshu e têm dificuldades para vasculhar os escombros causados pela enorme destruição do terremoto.

 

Por enquanto, cerca de 26 mil pessoas foram resgatadas vivas, segundo o Governo japonês.

Quase 80 mil edifícios e casas foram destruídos e mais de 500 mil de pessoas que deixaram suas casas vivem em acerca de 2,5 mil abrigos temporários, muitos dos quais não têm água potável ou eletricidade.

 

A magnitude da tragédia levou o imperador Akihito a fazer um discurso televisionado na quarta-feira pela primeira vez em seus 22 anos de reinado, pedindo calma e solidariedade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.