Número de mortos na Nigéria já chega a 100

Grupos de muçulmanos e cristãos voltaram a entrar em confronto nesta sexta-feira em Kaduna, no norte da Nigéria, elevando o número de mortos para 100 e de feridos graves para 500, segundo informações da Cruz Vermelha. Milhares de pessoas buscaram refúgio nas delegacias e bases do exército. Os tumultos começaram na quarta-feira quando muçulmanos radicais incendiaram a sede de um jornal que havia publicado um artigo dizendo que até o profeta Maomé se casaria com uma das beldades do concurso Miss Mundo que será realizado em 7 de dezembro em Abuja, capital da Nigéria.Testemunhas informaram que cristãos quebraram vidros e incendiaram mesquitas muçulmanas. O integrante do Congresso de Direitos Civis, Shenu Sani, disse ter presenciado a morte de um homem que foi esfaqueado e depois teve um pneu impregnado com gasolina colocado no pescoço que foi incendiado.O jornal ThisDay chegou a publicar ontem um artigo se desculpando e dizendo que a matéria de quarta-feira foi publicada por engano. Alguns grupos muçulmanos afirmam que o concurso de Miss Mundo promove a promiscuidade sexual e a indecência. Participantes de cinco países - Costa Rica, Dinamarca, Suíça, África do Sul e Panamá - boicotaram o evento devido às ameaças de cortes inslâmicas de setenciar à morte as mulheres que tenham tido filhos sem serem casadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.