Número de mortos na Nova Zelândia já chega a 98

O primeiro-ministro da Nova Zelândia, John Key, anunciou nesta quarta-feira que já há 98 mortes confirmadas pelo terremoto de 6,3 graus de magnitude na escala Richter que sacudiu a cidade de Christchurch na segunda-feira. Key disse que 226 pessoas continuam desaparecidas sob os escombros de dezenas de edifícios que desmoronaram após o tremor. Enquanto se espera que o número de vítimas fatais aumente nas próximas horas, as equipes de resgate têm cada vez menos esperanças de encontrar sobreviventes, já que não conseguiram manter contato com nenhum deles desde terça-feira. A polícia anunciará em breve a primeira lista oficial de vítimas fatais.

Agência Estado

24 de fevereiro de 2011 | 03h47

As autoridades reconheceram que seria um "milagre" encontrar pessoas com vida 48 horas depois da tragédia, que levou o governo do país a declarar estado de emergência nacional. Acredita-se que entre 50 e 100 pessoas estejam sob os escombros da sede da emissora local CTV, entre elas cerca de 20 estudantes japoneses de intercâmbio, além de jornalistas e policiais que tentaram evacuar o edifício. No momento, 80% dos distritos da cidade carecem de energia elétrica e água potável. O prefeito de Christchurch, Bob Parker, disse que além da mortes, o terremoto provocou uma destruição irreparável no centro histórico da cidade. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Nova Zelândiaterremotomortosatualiza

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.