Número de mortos no Caribe aumenta vertiginosamente

As autoridades da República Dominicana e do Haiti declararam estado de alerta, depois de os serviços locais de meteorologia terem informado que eram esperadas mais chuvas na ilha caribenha de Hispaniola, dividida entre os dois países e onde inundações e deslizamentos de terra causaram a morte de aproximadamente 2.000 pessoas nos últimos dias.Equipes de resgate retiram corpos de áreas alagadas e entregam água e comida para os sobreviventes, segundo os quais o grosso do número de vítimas é de crianças. No povoado haitiano de Mapou, agentes humanitários estimam que cerca de mil pessoas morreram em deslizamentos de terra e enchentes que submergiram metade da cidade."Estamos tentando fazer as contas, mas calculamos que cerca de mil pessoas morreram", disse o tenente-coronel americano Duane Perry, que comanda um grupo de fuzileiros navais enviado para entregar ajuda humanitária e auxiliar no resgate. Mapou tinha 3.500 habitantes. O Programa Mundial de Alimentação da ONU enviou 20 toneladas de arroz, cereais e vegetais em helicópteros militares para ajudar a população.O Centro Nacional de Emergências da República Dominicana declarou alerta vermelho em Jimani, povoado fronteiriço com o Haiti, onde o transbordamento do Rio Soleil destruiu dois bairros e matou mais de 370 pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.