Número de mortos no metrô de Moscou chega a 39

Um exposão arrasou um dos vagões do metrô de Moscou durante o ?rush? da manhã nesta sexta-feira, matando 39 pessoas e deixando mais de 120 feridos. Alguns informes se referem à tragédia como um ataque suicida. Trata-se do mais letal atentado terrorista a atingir a capital russa desde o início da segunda guerra na Chechênia.A agência de notícias Interfax, citando fontes policiais não-identificadas, disse que o ataque, perpetrado cinco semanas antes das eleições presidenciais, foi executado por uma mulher suicida. Pondo essa versão em dúvida, o vice-prefeito de Moscou Valery Shantsev disse que não foram encontrados estilhaços de metal, que normalmente são postos nos explosivos dos suicidas.Segundo o vice-prefeito, a bomba provavelmente estava numa valise deixada no piso do vagão. O vice-ministro do Interior, Alexander Chekalin, disse que 39 pessoas foram mortas e 122, hospitalizadas, incluindo uma criança. O porta-voz da polícia Kirill Mazurin disse que a explosãob está sendo tratada como um ato terrorista.Nenhum grupo ainda reivindicou a responsabilidade, mas os atentados mais recentes na Rússia forama atribuídos ao líder rebelde checheno Shamil Basayev. O presidente Vladimir Putin culpa ourro líder checheno, Aslan Maskhadov, que nega envolvimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.