Número de mortos passa de 200 na Indonésia

Equipes de resgate buscam desesperadamente por sobreviventes da enchente que atingiu uma estância turística nos arredores de uma reserva de orangotangos na ilha indonésia de Sumatra e deixou mais de 200 mortas ou desaparecidas. Autoridades locais revelaram que 85 corpos sem vida fora recuperados. Entretanto, 123 pessoas continuam desaparecidas e o número de mortos pode aumentar nas próximas horas. As esperanças de encontrar sobreviventes diminuem com o passar do tempo. Mais corpos foram recuperados na manhã de hoje em meio aos destroços das cabanas que abrigavam turistas. Uma mesquita próxima funcionava como uma espécie de morgue improvisada, onde familiares e amigos velavam os corpos de seus parentes. Cinco estrangeiros morreram no incidente - dois alemães, dois austríacos e um cingapureano. A maior parte das vítimas é composta por habitantes da região: comerciantes locais, guias turísticos, camareiros e seus familiares. A identidade das vítimas não foi revelada. Dias seguidos de fortes chuvas causaram o transbordamento do Rio Bahorok na noite de domingo. O rio corta a aldeia de Bukit Lawang. Dezenas de pousadas e restaurantes estabelecidos em suas margens foram destruídas pela forte correnteza de água, lama e madeira. Visivelmente abatido e segurando uma camiseta de sua filha de três anos morta na enchente, Muhammad Yusuf, um guia turístico, lembrava: "Ela gostava de vestir essa camisetinha quando andava de bicicleta. Perdi tudo o que eu tinha." O Rio Bahorok ainda estava acima de seu nível normal nesta terça-feira. A distribuição de energia, o sistema telefônico e outros serviços básicos ainda estavam interrompidos hoje. A tragédia chamou a atenção para um problema ambiental: o desmatamento desenfreado nas florestas de Sumatra não está colocando apenas os animais em risco, mas seres humanos também. O desmatamento ilegal está afetando a absorção natural da água das chuvas nas regiões de planalto, causando enchentes e deslizamentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.