Sakchai Lalit/AP
Sakchai Lalit/AP

Número de mortos por inundações chega a 427 na Tailândia

Casos de pessoas eletrocutadas em áreas alagadas torna-se cada vez mais comum na capital

Efe

02 de novembro de 2011 | 10h11

BANGCOC - As autoridades da Tailândia elevaram para 427 o número de mortos pelas inundações que afetam o planalto central e subúrbios de Bangcoc, onde os níveis de água continuam subindo. Um dos motivos do aumento quase diário de vítimas são os casos cada vez mais comuns de pessoas eletrocutadas em áreas alagadas, de acordo com o departamento de Saúde fornecidos nesta quarta-feira, 2.

 

O chefe do Centro de Operações para a Mitigação das Inundações, Plodprasop Suraswadi, disse à imprensa que o volume de água que vem do planalto central alagará a maior parte do oeste de Bangcoc, uma das áreas com a maior densidade populacional.De acordo com Surawasdi, calcula-se que entre 2,5 milhões a 3 milhões de metros cúbicos de água e lodo cubram os bairros do oeste.

 

O contraste entre o centro de Bangcoc completamente seco e os subúrbios alagados está aumentando a indignação dos desabrigados contra as autoridades, que utilizam diques para desviar a água e evitar a inundação do coração financeiro e comercial da capital.

 

A polícia reforçou a segurança nos diques que protegem a área central de Bangcoc, depois que vários foram derrubados por grupos de cidadãos tentando acabar com as inundações em seus bairros. As autoridades de Bangcoc defendem que a derrubada destes diques causará a completa inundação dos 50 distritos da metrópole, incluídos os da área central.

 

A primeira-ministra tailandesa, Yingluck Shinawatra, e também o chefe do Exército, Prayud Chanocha, descartaram declarar o estado de exceção que a oposição propõe para controlar os protestos nos distritos inundados.

 

Reconstrução

 

Até o momento, a inundações alcançam 15 distritos do oeste e norte da metrópole. Durante os três meses das persistentes inundações, 1,6 milhão de hectares ficaram submersos pela água, e deverá ser preciso desembolsar 900 bilhões de baht (US$ 30 bilhões) para a reconstrução das regiões afetadas.

 

As inundações, consideradas as piores nos últimos 50 anos, causaram mais de dois milhões de desabrigados e obrigaram mais de 150 mil pessoas a buscar refúgio em centros de amparo improvisados montados em várias províncias do leste e oeste de Bangcoc.

 

O desastre começou no final de julho com o transbordamento de rios e pântanos no norte e na região central por causa das copiosas chuvas da monção e de três tempestades tropicais seguidas.

Tudo o que sabemos sobre:
BangcocÁsiaenchentesTailândia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.