Número de mortos sobe na China, fortes chuvas persistem

Chuvas torrenciais ainda estão atingindo as regiões sul e central da China, quase duas semanas depois de matar pelo menos 105 pessoas e deixar 65 desaparecidas, disse a agência de notícias estatal Xinhua nesta quarta-feira.

REUTERS

15 de junho de 2011 | 08h11

Fortes chuvas em regiões recentemente afetadas pela seca na China provocaram enchentes e deslizamentos de terra, que forçaram mais de 88 mil pessoas a deixarem suas casas na manhã de quarta-feira.

A chuva na região deve durar até sexta-feira e se espalhar para o norte do China em alguns dias, de acordo com Centro Meteorológico Nacional (http://www.nmc.gov.cn/).

O Ministério de Assuntos Civis da China e o Ministério das Finanças alocaram conjuntamente 130 milhões de iuans (20,5 milhões de dólares) para as províncias de Hubei e Hunan para a retirada de pessoas e os esforços de reconstrução. Nessas províncias 150 milímetros de chuvas caíram na terça-feira.

A Xinhua informou que as enchentes e deslizamentos de terra causadas pelas maiores chuvas em 300 anos na semana passada mataram 29 pessoas e deixaram 20 desaparecidas na cidade de Yueyang, província de Hunan.

A província costeira de Zhejiang elevou os alertas sobre as chuvas. Lá a precipitação causou deslizamentos de terra e ameaçava afetar barragens, disse a Xinhua.

(Reportagem de Sabrina Mao e Michael Martina)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINACHUVASMORTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.