Safin Hamed/AFP
Safin Hamed/AFP

Número de refugiados bateu recorde em 2011, revela ONU

Segundo agência da ONU, Afeganistão lidera lista, com 2,7 milhões de refugiados, seguido pelo Iraque, com 1,4 milhão

Ansa,

18 de junho de 2012 | 16h18

GENEBRA - Um total de 800 mil pessoas fugiram de seus países de origem em 2011, o maior número registrado nos últimos 11 anos, segundo o informe do escritório do Alto Comissionado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), divulgado nesta segunda-feira, 18.

 

Veja também:

linkNúmero de sírios refugiados na Turquia ultrapassa 30 mil

 

Os principais motivos para que abandonassem seus países foram as crises humanitárias, conflitos e violência. "Em 2011 se viu um sofrimento de tamanho memorável. Isso implica enormes custos pessoais para todos aqueles que foram afetados", afirmou o Alto Comissário da ONU, Antonio Guterres.

 

Apesar disso, Guterres comemorou o fato de no ano passado a comunidade internacional ter respondido às necessidades dos refugiados mantendo, por exemplo, suas fronteiras abertas.

 

"Turquia, Iraque, Líbano e Jordânia mantiveram suas fronteiras abertas aos refugiados sírios, da mesma forma como tem sido feito pelos países vizinhos de Mali", destacou o Alto Comissário.

 

Segundo seu ponto de vista, o retorno dessas pessoas a seus países de origem "teve bastante êxito", o que permitiu que o número total de refugiados diminuísse ligeiramente e passasse de 10,5 milhões em 2010 para 10,4 milhões em 2011.

 

Os países dos quais mais pessoas saíram são Afeganistão, com 2,7 milhões de refugiados; seguido pelo Iraque, com 1,4 milhão; Somália com 1,1 milhão; Sudão com 500 mil; e República Democrática do Congo com 491 mil. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.