Número de refugiados forçados é o maior em duas décadas, diz ONU

Total de pessoas que fugiram de suas regiões por conta de conflitos chegou a 43,3 milhões em 2009

estadao.com.br,

15 de junho de 2010 | 07h33

Refugiados na África aguardam para se registrar em programa da ONU. Foto: UNHCR/F.Noy

 

SÃO PAULO - O número de pessoas forçadas a se deslocar por causa de conflitos e perseguições em 2009 foi o maior em duas décadas e totalizou 43,3 milhões em todo o mundo. É a maior cifra de deslocamentos forçados por estes motivos desde a metade dos anos 90. A informação é do relatório Tendências Globais 2009, divulgado hoje pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) em todo o mundo.

 

Veja também:

linkRefugiados quirguizes no Usbequistão chegam a 83 mil

 

Porém, os deslocamentos voluntários, de refugiados repatriados voluntariamente para seus países de origem caiu ao nível mais baixo em 20 anos.

 

O documento indica que o número médio de refugiados no mundo permanece relativamente estável (15,2 milhões), sendo dois terços sob os cuidados do ACNUR e o restante sob o mandato da UNRWA (agência da ONU que se dedica exclusivamente a refugiados palestinos). Por causa da crescente persistência dos conflitos, mais da metade dos refugiados sob os cuidados do ACNUR estão em situações de refúgio prolongado - há mais de cinco anos no exílio.

 

O relatório do ACNUR mostra que apenas 251 mil refugiados retornaram para casa em 2009 - o menor número desde 1990. Nos últimos dez anos, os retornos voluntários chegavam a cerca de 01 milhão, por ano.

 

O número de pessoas deslocadas por conflitos em seus próprios países (os chamados deslocados internos) cresceu 4%, chegando a 27,1 milhões ao final de 2009. Os persistentes conflitos na República Democrática do Congo (RDC), Paquistão e Somália explicam esta realidade, de acordo com o relatório Tendências Globais 2009.

 

O documento também revela que um número cada vez maior de refugiados está vivendo em cidades, principalmente no mundo em desenvolvimento, o que contrasta com a percepção comum de que estas pessoas estariam inundando as nações industrializadas.

 

O número de novos solicitantes de refúgio no mundo chegou a quase 01 milhão, sendo que a África do Sul é o hoje o principal destino de solicitantes de refúgio no mundo - cerca de 220 mil novos pedidos no ano passado.

 

O relatório Tendências Globais 2009, que revisa tendências e padrões de deslocamentos relacionados a conflitos, também analisa as pessoas apátridas e revela que o número de pessoas reconhecidas nesta situação ao final de 2009 era de 6,6 milhões - embora cifras extra-oficiais estimem uma população de apátridas de até 12 milhões de pessoas.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUrepatriadosACNURrefugiados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.