Número de refugiados norte-coreanos na Coreia do Sul supera 20 mil

Crise econômica no país comunista causa onda de desertores; China é principal via de escape

Efe

15 de novembro de 2010 | 09h30

Ministro da Unificação sul-coreano acompanha processo de integração de norte-coreanos.

 

SEUL - O número de refugiados norte-coreanos na Coreia do Sul já superou as 20 mil pessoas, especialmente perante o aumento de chegadas nos últimos três anos por causa da persistente crise econômica do país comunista, informou nesta segunda-feira, 15 o governo de Seul.

 

A refugiada número 20 mil é uma mulher de 41 anos que chegou ao Sul na quinta-feira passada com dois filhos de 17 e 12 anos e que fugiu do regime de Kim Jong-il através da fronteira com a China, principal via de escape para os desertores norte-coreanos, segundo informou o Ministério da Unificação sul-coreano.

 

Desde 2007, mais de dez mil norte-coreanos conseguiram refúgio na Coreia do Sul, aonde chegam normalmente após atravessar a China, principal aliado da Coreia do Norte. Para fugirem do regime comunista, os norte-coreanos arriscam-se por viagens que, se resultarem em prisões, podem levar a torturas ou inclusive à morte.

 

No último ano 2.900 norte-coreanos conseguiram se refugiar na Coreia do Sul, onde são internados durante três meses em centros para que se adaptem ao moderno estilo de vida sul-coreano e se preparem para obter a cidadania sul-coreana e um trabalho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.