Número de soldados mortos no Iraque chega a 2.870

Três fuzileiros americanos foram mortos em combate na província de Anbar, área oeste do Iraque onde muito insurgentes sunitas estão alocados, relataram os militares nesta quinta-feira. Com as mortes, estão contabilizadas 2.870 baixas americanas desde o início da guerra do Iraque em março de 2003, de acordo com a Associated Press. De acordo com o Regime de Combate assinado pelo Time 7, os marines morreram na quarta durante uma ação contra o inimigo, disse o comando. Os nomes dos mortos foram postos sob sigilo depois da identificação das famílias. Somente neste mês, 52 americanos morreram ou foram assassinados, no Iraque. Recorde de civis mortos O número de civis iraquianos mortos desde a invasão americana em marcos de 2003 alcançou um novo recorde no mês de outubro, informou a ONU por meio de comunicado divulgado nesta quarta-feira em Genebra. Segundo as Nações Unidas, o número indica a severidade do derramamento de sangue sectário que atinge o país. Said Arikat, porta-voz da Missão Assistencial da ONU no Iraque (UNAMI), disse que 3.709 civis iraquianos morreram em outubro, superando o recorde anterior de 3.590 mortes de civis ocorridas em julho. A contagem é mais de três vezes superior ao total calculado pela agência de notícias Associated Press no mesmo mês, e bem acima dos 2.866 soldados americanos mortos durante todo o conflito. Especialistas da ONU responsáveis pelo relatório, que também analisa a situação dos direitos humanos no país árabe, atribuíram o recorde ao aumento da influência das milícias armadas e dos casos de tortura. Os dados vão de encontro com a promessa do governo iraquiano em combater os abusos.

Agencia Estado,

23 Novembro 2006 | 05h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.