Número de soldados mortos no Iraque supera vítimas do 11/9

O número membros do serviço militar americano mortos no Iraque superou a quantidade de vítimas dos ataques terroristas ocorridos em 11 de setembro de 2001, concluiu a Associated Press. Enquanto isso, nesta terça-feira, carros-bomba foram responsáveis pela morte de seis americanos e pelo menos 25 iraquianos, no oeste de Bagdá. De acordo com estimativas, desde o início do conflito entre EUA e Iraque, em março de 2003, 2.978 oficiais americanos foram mortos, cinco a mais do que as vítimas dos ataques ocorridos em Nova York, Washington e na Pensilvânia. O presidente americano George W. Bush já disse que o conflito no Iraque é uma das medidas adotadas pelos EUA após o 11 de Setembro que tem como objetivo evitar novas ameaças terroristas. Segundo Bush, foi necessário tirar o taleban do poder no Afeganistão, perseguir membros da Al-Qaeda e exigir a mudança do regime no Iraque para garantir que não haverá um novo ataque terrorista nos EUA. Líderes democratas dizem que o plano de Bush no Iraque fracassou, inclusive porque não foram encontradas no país evidências de que existe relação entre iraquianos e os atentados do 11 de Setembro.A conta divulgada pela AP inclui pelo menos sete civis. O resultado da agência contabiliza 15 mortes a mais do que o obtido pelo Departamento de Defesa na última sexta-feira. De acordo com oficiais, pelo menos 2.377 oficiais americanos morreram no Iraque desde o início do conflito.Além de soldados americanos, 126 soldados do Reino Unido morreram na guerra; 33 da Itália; 18 da Ucrânia; 18 da Polônia; 11 da Espanha; seis da Dinamarca; 13 da Bulgária; cinco de El Salvador; quatro da Eslováquia; dois da Estônia, dois dos Países Baixos e dois da Tailândia; um da Austrália, um da Hungria, um do Casaquistão, um da Letônia e um da Romênia.Carro-bomba Pelo menos 36 iraquianos morreram nesta terça-feira por conta de ataques, entre eles as explosões de carros-bomba em um bairro misto de sunitas e xiitas no oeste de Bagdá, que deixaram 25 pessoas mortas e 55 feridas.No centro da capital, uma bomba explodiu num mercado de rua, matando quatro pessoas e ferindo outras 15. Os explosivos estavam escondidos num toca CD deixado em uma loja de conserto de aparelhos eletrônicos, segundo a polícia. O homem que deixou o aparelho na loja saiu do local momentos antes da explosão.A polícia também informou que a explosão de bombas plantadas na beira de uma estrada num bairro da zona leste da capital atingiu uma patrulha policial, matando quatro policiais e ferindo outras 12 pessoas.Em Kirkuk, 290 quilômetros ao norte de Bagdá, outra bomba plantada na beira de uma estrada matou três civis - entre eles uma menina de oito anos - e feriu outras seis pessoas.Matéria atualizada às 11 horas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.