REUTERS/Shailesh Andrade
REUTERS/Shailesh Andrade

Número de vítimas do desabamento de um prédio em Mumbai sobe para 33

Entre os mortos, havia 22 homens, 8 mulheres e 3 crianças; equipes de emergência ainda procuram sobreviventes

O Estado de S.Paulo

01 Setembro 2017 | 08h32

MUMBAI, ÍNDIA - O número de vítimas do desabamento de um edifício em Mumbai subiu nesta sexta-feira, 1.º, para 33, anunciaram as autoridades da cidade indiana. Entre elas, estavam 22 homens, 8 mulheres e 3 crianças.

"Esta noite retiramos 15 corpos, o que eleva o balanço a 33 mortos", declarou Tanaji Kamble, porta-voz do governo municipal.

O edifício que desabou tinha quatro andares e estava localizado no bairro de Bhendi Bazaar, coração da cidade.

No dia seguinte à tragédia, as equipes de emergência ainda procuram sobreviventes. Até o momento, 12 pessoas foram hospitalizadas.

A área de Bhendi Bazaar, que data da época colonial, passa por uma importante reforma urbana, avaliada em US$ 600 milhões, para substituir os prédios antigos. O imóvel que desabou na quinta-feira tinha 120 anos.

A queda de imóveis é frequente na Índia, sobretudo, durante a temporada de chuvas, entre junho e setembro. Nesta semana, as chuvas particularmente intensas paralisaram Mumbai.

Milhões de pessoas são obrigadas a viver em locais pequenos e em condições precárias, em consequência dos preços elevados do setor imobiliário e da ausência de casas para os mais pobres.

Muitos ativistas afirmam que as imobiliárias, os proprietários privados e as construtoras limitam as obras para reduzir gastos. Também denunciam a corrupção e a concessão de certificados a edifícios insalubres em troca de propina.

As chuvas desta semana em Mumbai obrigaram a capital econômica da Índia a suspender grande parte de suas atividades e provocaram ao menos 10 mortes. Em 2013, 60 pessoas morreram em um desabamento em um bairro residencial da cidade, uma das maiores tragédias do tipo na região. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.