Número dois da Al-Qaeda critica Obama e incita ataques

O número dois da rede terrorista Al-Qaeda criticou o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, por não ter mencionado a Faixa de Gaza no seu discurso de posse, e fez novo apelo aos muçulmanos ao redor do mundo para que ataquem alvos norte-americanos, em vingança pelo apoio dos Estados Unidos à ofensiva israelense contra o território palestino. Ayman al-Zawahiri também incitou os muçulmanos a continuar a luta na Faixa de Gaza, onde vigora uma frágil trégua há duas semanas entre o grupo Hamas e Israel."O caminho da luta contra a ocupação está aberto a todos os muçulmanos", disse al-Zawahiri em nova mensagem de áudio. "Tragam armas para Gaza. Inflijam punições a qualquer um que estiver contra Gaza e o resto do mundo islâmico." A mensagem é a segunda feita por al-Zawahiri neste ano sobre a Faixa de Gaza e a recente ofensiva de Israel contra o Hamas. O chefe da rede terrorista, Osama bin Laden, também divulgou uma mensagem de áudio em janeiro, instando os muçulmanos a lançarem uma "guerra santa" contra Israel.A Al-Qaeda tem pouca influência entre os palestinos, mas esse tipo de mensagem tem como objetivo aumentar a raiva dos muçulmanos contra Israel e canalizá-la à nova administração americana. "Já para Obama, ele expressou suas preocupações com a morte de civis em Gaza. Preocupado? Nós apreciamos suas preocupações, Sr. Obama", disse al-Zawahiri. "Nós aprendemos com as suas preocupações, bem como com os milhares de mísseis e bombas de fósforo branco", disse al-Zawahiri, em referência às acusações de que Israel usou projéteis de fósforo branco para queimar civis palestinos em Gaza. Não foi possível comprovar a autenticidade da mensagem de 17 minutos, mas ela foi postada em um site de extremistas que é conhecido por abrigar mensagens da Al-Qaeda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.